Inibidores de Apetite – Análise Detalhada e VERDADEIRA!

É bem verdade que todos nós queremos emagrecer sem sacrifícios e sem fome, não é verdade? Seria tão bom se simplesmente não tivéssemos apetite e deixássemos de desejar comer a toda hora!

Mas para isso, temos os inibidores de apetite, que prometem regular a vontade de comer.

Mas, será que eles realmente funcionam? Até que ponto um inibidor de apetite pode ser benéfico no processo de emagrecimento?

Acompanhe o nosso artigo e saiba mais sobre os tipos de inibidores de apetite e o que eles podem realmente fazer.

Primeiramente, o Que Fazem os Inibidores de Apetite?

Como aliados nos processos de emagrecimento, os inibidores de apetite podem ser encontrados tanto na forma de medicação como também in natura.

Esses inibidores de apetite atuam no organismo promovendo uma sensação de saciedade. Dessa forma, eles são capazes de diminuir a sensação de fome ao longo do dia, evitando que a pessoa fique “beliscando” o tempo inteiro.

Há também inibidores que, dependendo de sua atuação, chegam a inibir a fome em um grau maior, fazendo com que a pessoa perca a vontade de comer até mesmo nas principais refeições do dia.

Uma vez que a pessoa se encontra com menos apetite, ela passa a reduzir suas porções alimentares e a consequência disso é a perda de peso.

Diante disso, surge uma dúvida pertinente: até que ponto esses inibidores de apetite, podem ser benéficos para nós?

Para responder melhor essa pergunta, vamos ver as duas classes de inibidores que existem.

Inibidores de Apetite Medicamentosos

Existem diferentes espécies de inibidores de apetite em fórmulas emagrecedoras e em remédios farmacológicos. Eles são conhecidos como anorexígenos ou moderadores de apetite e geralmente são feitos à base de anfetamina, uma substância muito utilizada para quem quer fazer uso de remédios para emagrecer.

A anfetamina atua enviando ao cérebro uma mensagem de que o organismo já está satisfeito, e que não precisa mais se alimentar. Com essa atuação cerebral, existe um bloqueio imediato na vontade de comer, e a pessoa passa a reduzir suas quantidades de comida.

Vale lembrar que esse tipo de inibidor geralmente só é vendido com a receita médica controlada.

Um dos efeitos colaterais de quem faz uso de anfetaminas é que elas acabam desencadeando efeitos como:

  • Taquicardia;
  • Sudorese;
  • Boca seca;
  • Irritação estomacal;
  • Alterações de humor;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Dores de cabeça;
  • Hipertensão;
  • Prisão de ventre;
  • Insônia.

Um grande problema que existe para quem faz uso das anfetaminas é que, quando essas pessoas param de tomar, o apetite volta normalmente. Nesse processo, elas voltam a engordar tudo de novo.

Além destes efeitos colaterais, o grande problema das anfetaminas é que existe um grande risco de criar dependência química das mesmas, vindo a tornar-se um vício. Por isso, muitas vezes são classificadas como drogas.

Muitos especialistas acabam condenando o uso de anfetaminas, pois consideram uma solução rápida para o emagrecimento, porém, de ação nada duradoura. Os efeitos colaterais também são motivos de preocupação por parte desses especialistas.

Além disso, questiona-se muito a eficácia desse tipo de medicamento, pois a pessoa não passa por nenhum processo de reeducação alimentar, portanto, não se reeducam e não aprendem a comer corretamente. Outro fator é que muitos nem fazem questão de se exercitar, mantendo um estilo de vida sedentário.

Inibidores de Apetite Naturais

Uma opção mais leve para quem deseja fazer uso dos inibidores de apetite é optar pela versão natural.  É o caso dos alimentos ricos em fibras que, ao serem consumidos, fornecem uma sensação de saciedade maior.

A ação das fibras ocorre devido à sua absorção de água do organismo, aumentando o volume do estômago. Dessa forma, a sensação de saciedade permanece por mais tempo.

Veja alguns desses alimentos.

Alimentos Ricos em Fibras

  • Alimentos integrais – pão, arroz, macarrão;
  • Cereais – cevada, granola, gérmen de trigo, aveia, etc;
  • Verduras: todas elas em geral, principalmente os talos;
  • Legumes: todos eles;
  • Grãos: feijões, grão de bico, lentilha, ervilhas, milho, etc;
  • Frutas – todas elas, incluindo o bagaço e as cascas que são altamente fibrosos;
  • Oleaginosas e sementes- nozes e sementes: amêndoa, linhaça, chia, etc.
Alimentos fibras
Alimentos fibras

Apenas não devemos nos esquecer de que as fibras só têm efeitos se forem aliadas a uma boa quantidade de água. Portanto, deve-se consumir, no mínimo, 8 copos de água por dia. Do contrário, não terão efeito algum.

Outra boa opção também é fazer uso dos chás medicinais. Existem ervas que possuem efeitos inibidores de apetite, bem como:

  • Chá verde;
  • Chá de hibisco;
  • Chá de gengibre;
  • Chá de limão;
  • Chá de maçã;
  • Chá de garcínia;
  • Chá de erva de São João;
  • Chá de maracujá.

Observações Importantes

É claro que podemos fazer uso dos recursos naturais de inibidores de apetite que proporcionem uma sensação maior de saciedade. Porém, devemos sempre buscar o bom senso, sabendo que nenhum inibidor de apetite pode fazer o trabalho de emagrecimento sozinho.

Portanto, se você está na luta contra a balança e quer emagrecer, procure mudar os seus hábitos alimentares, faça uma reeducação alimentar e aprenda a alimentar-se da maneira correta.

Além da alimentação, você também pode – e deve – fazer uso das atividades físicas para emagrecer. As atividades vão te tirar do estado do sedentarismo e, através do corpo em movimento, você será capaz de emagrecer ainda mais rapidamente devido à queima calórica.

Para fazer atividades físicas você não precisa, necessariamente, frequentar uma academia. Existem muitas atividades que podem ser feitas sem sair de casa.

Portanto, se você está enfrentando uma luta contra a balança, você pode até fazer uso de inibidores de apetite naturais. Apenas lembre-se de que eles não fazem o trabalho sozinho. Eles servirão apenas como coadjuvantes nesse processo.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos nas redes sociais.

Recomendados: