Como Acabar com a Gordura Localizada com Esta Solução Simples

Os remédios para emagrecer existem e tem ganhado cada vez mais o mercado, principalmente após a liberação oficial feita pelo senado. Alguns especialistas defendem que os remédios são uma eficiente arma contra a obesidade, e claro, existem os que descordam, simplesmente por conta do uso indiscriminado e os malefícios que estes remédios podem causar. Os remédios para emagrecer devem apenas ser usados para tratamentos médicos.

Tipos de Remédio para Emagrecer e Como Agem no Organismo

Os remédios para emagrecer estão divididos em três grupos: os anorexígenos, sacietógenos e os inibidores de absorção de gorduras. Sendo os anorexígenos verdadeiros inibidores de apetite compostos por substâncias conhecidas como anfetaminas. Um exemplo desses remédios é a anfepramona, femproporex e manzidol. Os anorexígenos são usados apenas quando as outras duas opções não obtiverem resultados, pois apresenta muitos riscos de efeitos colaterais.

O segundo grupo e dos sacietógenos, que reúne medicamentos que agem diretamente no estímulo da sensação de saciedade, ou seja, o usuário sente fome, porém com uma pequena porção de alimentos já se sente satisfeito, deixando de comer exageradamente. A sibutamina é a substância mais conhecida no segundo grupo, que possui uma ação secundária para o emagrecimento: o aumento do gasto energético.

Já o terceiro grupo, é o grupo dos inibidores da absorção de gordura, representado por Orlistat e o Cetilistate. São substâncias que não restringem o apetite, pois não atual no cérebro ou no sistema nervoso, elas atuam na inibição da absorção intestinal de cerca de 30% da gordura ingerida. Quando essa gordura ingerida é controlada, a ajuda na perda de peso é significativa, porém ao comer demais a tendência acaba não sendo da perda de peso, porque esses 30% de gordura que deixam de ser absorvidas podem não ser uma deficiência caloria suficiente para a pessoa emagrecer.

Quando os Remédios para Emagrecer Devem ser Usados?

Os medicamentos para emagrecer devem ser usados quando a prática de exercícios físicos e uma alimentação saudável não estão gerando resultado para perda de peso. O uso também é indicado quando o IMC continuar superior a 29,9 mesmo após uma reeducação alimentar.

Efeitos Colaterais

O uso deste tipo de medicamentos é seguro se usados de forma correta, se não eles são capazes de causar inúmeros efeitos colaterais. Cada medicamento tem seu efeito colateral especifico, esses efeitos colaterais também podem variar de acordo com o metabolismo de cada um.

Confira os efeitos colaterais de cada tipo:

  • Anorexígenos – Causam irritabilidade, insônia ou sono superficial, tremores, depressão ou se alternam entre períodos de estímulo com períodos de depressão. Aumento da pressão arterial e freqüência cardíaca. São efeitos diretamente ligados ao sistema nervoso e cardiovascular, áreas que os medicamentos anorexígenos tem efeito;
  • Sacietógenos – Apresentam efeitos colaterais suaves, causando insônia ou sono superficial, agitação, irritabilidade (que não é freqüente). Mesmo assim, a sibutramina foi proibida de ser comercializada em alguns países. Órgãos responsáveis alegaram que o medicamento acelera a freqüência cardíaca, provocando arritmias em que possui propensão de doenças cardíacas. No Brasil, a sibutramina faz parte da categoria de remédio controlado;
  • Inibidores da absorção de gorduras – Apresentam efeitos quando a ingestão de gorduras for exagerada. É um verdadeiro alerta, pois a pessoa apresentará diarreia com fezes pastosas ou líquidas, podendo eliminar gotas de gordura após refeições mais pesadas. Por esse motivo, ao tomar remédios para emagrecer, é de extrema importância que tenha uma alimentação balanceada e saudável.

Remédios Caseiros para Emagrecer

Os remédios caseiros para emagrecer são uma excelente opção, por serem seguros e mais fáceis para utilizar. Confira alguns:

1 – Água de Berinjela

Para preparar, deve-se cortar 1 berinjela em cubos e deixar de molho em 1 litro de água durante a noite. Pela manhã, deve-se bater tudo no liquidificador consumir ao longo do dia, sem adicionar açúcar.

Água de beringela

2 – Água de Gengibre

Deve-se adicionar de 4 a 5 rodelas ou 2 colheres de sopa de raspas de gengibre em 1 litro de água gelada, bebendo a mistura ao longo do dia. Para obter melhores resultados, o gengibre deve ser trocado diariamente. 

3 – Chá Diurético de Ervas

Para preparar este chá, deve-se adicionar 10 g de alcachofra, cavalinha, sabugueiro, louro e anis em 1 litro de água fervente. Desligar o fogo e abafar a panela, deixando descansar por 5 minutos. Beber o chá ao longo do dia e seguir o tratamento durante 2 semanas.

Além de conhecer os remédios, é importante lembrar que todos esses medicamentos trazem mais resultados quando aliados a uma alimentação saudável e à prática regular de atividade física.

O Uso Prolongado dos Medicamentos Pode Causar Dependência?

Sim. Podem causar uma dependência física e psicológica mesmo que o nível de dependência seja baixo, caso os medicamentos sejam usados por um longo período, ou seja, por mais de quatro meses sem novas avaliações. Esses medicamentos devem ser usados apenas em último caso e combinados com um programa de reeducação alimentar além também da prática de atividades físicas, e depois que o paciente sair do quadro de obesidade o uso deverá ser interrompido.

Remédios para Emagrecer Realmente Funcionam?

Funcionam sim. Porém, o uso desses remédios para emagrecer não é fácil. Além dos efeitos colaterais citados acima, existem algumas pessoas que os medicamentos sequer fazem efeito. Isso acontece principalmente quando as pessoas fazem o uso de medicamentos que são prescritos às pressas ou não tem qualquer tipo de acompanhamento médico. Isso ocorre muito no Brasil, onde remédios do tipo são adquiridos sem receita.

Por esse motivo, um excelente recurso que são os remédios para emagrecer, que poderiam trazer um excelente resultado acaba sendo um verdadeiro desperdício de tempo e dinheiro e acaba sendo visto com maus olhos. Não conte com o remédio como uma primeira alternativa, pois eles não funcionam se você não mudar seu comportamento, ou seja, junto ao uso dos medicamentos é necessário uma boa dieta, uma série de exercícios físicos e claro, hábitos saudáveis.

É bom lembrar também que os medicamentos não são uma fórmula mágica para perda de peso. Especialistas trabalham com uma redução de um quilo ao mês, um número que pode ser facilmente alcançado com uma alimentação balanceada.

Conclusão

Vimos que os remédios para emagrecer devem ser utilizados em conjunto com uma dieta e a prática de atividade física, pois assim, os efeitos são potencializados, fazendo com que o usuário emagreça no menor tempo possível.

Caso seu desejo seja perder peso urgentemente, até mesmo por questões de saúde, vale a pena fazer o uso desses remédios, mas lembre-se sempre de iniciar a reeducação alimentar e praticar exercícios.

Essa informação foi útil? Nos diga nos comentários o que achou. Não se esqueça de compartilhar esse post com seus amigos, afinal, eles também merecem saber.

Recomendados: