Como Os Remédios Para Triglicérides Funcionam? Eles Ajudam a Emagrecer? [Entenda]

Triglicérides, ou triglicerídeos, são nada mais nada menos do que a reserva de energia do nosso corpo. Eles possuem a função de fornecer “combustível” para os músculos. Quando os triglicérides não são utilizados como forma de energia, começam a ser armazenados no tecido adiposo, em forma de gordura.

Eles penetram no organismo de duas maneiras, pela alimentação e por uma produção própria do corpo. Assim como o colesterol, todos nós temos triglicérides e não existe absolutamente problema nenhum nisso, muito pelo contrário, porém, é perigoso quando ele fica em quantidades muito elevadas.

Os triglicérides estão ligados a um risco maior de ataques cardíacos, esteatose hepática (gordura no fígado), obesidade e pancreatite, dentre outros.

Causas

Como já foi dito, nós adquirimos os triglicérides de duas maneiras, pela alimentação e por uma produção do nosso próprio organismo.

Na alimentação, você consegue encontrá-lo nos alimentos que são ricos em carboidratos simples como a farinha branca e o açúcar, e nos gordurosos, especialmente os que são de origem animal, como leite integral, queijos amarelos e carnes.

Quando a pessoa come muito desses alimentos e não tem uma prática diária de atividades físicas, ela pode vir a ter seus triglicérides elevados. Isso acontece porque, enquanto existe a prática de exercícios o corpo procura energia para continuar realizando os movimentos, que é encontrada nos triglicérides, o que minimiza a circulação dos mesmos no sangue.

Além de casos assim, também existe a possibilidade de que o paciente tenha alguma alteração genética que faz com que os seus níveis de triglicérides fiquem elevados, mesmo que ele mantenha uma alimentação adequada e uma rotina de atividades físicas. Para casos como esses, damos o nome de hipertrigliceridemia familiar.

Quais são os Fatores de Risco?

Qualquer ser humano cuja alimentação tem excessos de carboidratos e gorduras e/ou que não faça absolutamente nenhum exercício está sujeito a ter triglicérides elevado. Outros fatores que são considerados de risco são:

  • Excesso de peso ou obesidade;
  • Acúmulo de gordura abdominal (visceral);
  • Alcoolismo;
  • Diabetes não controlado;
  • Hipotireoidismo não sendo tratado de forma certa;
  • Resistência a insulina;
  • Síndrome metabólica.

Sintomas de Triglicérides

Pessoas com hipertrigliceridermia, ou triglicérides alto, não apresentam sintomas. A única maneira de descobrir se tem algo errado com os seus níveis de triglicérides é realizando um exame de sangue.

Pacientes que tenham as taxas de triglicérides muito elevadas, geralmente nos casos genéticos, podem apresentar xantomas, que são algumas placas de gordura (semelhantes a verrugas) amareladas que permanecem em áreas de dobras do corpo, como cotovelos e pálpebras.

Buscando Auxílio de um Médico

Como não existem sintomas a serem apresentados, é bem possível que uma pessoa somente descubra que tem triglicérides elevados depois de fazer exame de sangue de rotineiro.

Exame de Sangue Rotineiro
Exame de Sangue Rotineiro

Depois que o problema for encontrado nos exames, seu médico vai poder indicar o acompanhamento com um profissional que seja nutricionista ou nutrólogo.

Também, no caso de uma pessoa que possua um risco cardiovascular mais alto (como quem sofre de obesidade), pode ser recomendada uma visita ao cardiologista. Da mesma maneira será feito, se for identificado algum outro risco no paciente, devido aos altos níveis dos triglicérides.

Diagnóstico de Triglicérides

Como já foi mencionado, o diagnóstico de triglicérides alto (hipertrigliceridemia) é realizado por meio de exames de sangue. No Brasil, se considera que a pessoa não tem esse problema, quando os seus níveis estão abaixo de 150 mg de triglicérides por 100 ml de sangue.

Até 200 ainda se considera limítrofe e mais do que isso são níveis altos. Quando o resultado sugere um nível acima de 500, geralmente ele está ligado ao tipo genético do problema, a hipertrigliceridemia familiar.

Medicamentos

Se mesmo fazendo algumas mudanças de estilo de vida os seus triglicerídeos continuarem altos, pode ser preciso usar uma medicação. Preste atenção! Os remédios devem ser sempre prescritos por um médico e nunca serem uma automedicação! Além disso, o médico vai analisar seus níveis de colesterol.

Os medicamentos mais comuns para esse problema são:

  • Estatinas

São utilizadas por quem lida com baixo nível do colesterol bom (HDL), alto nível de colesterol ruim (LDL) e triglicerídeo elevado.

O médico ainda pode recomendar uma combinação de remédios. Mas, se mantenha atento a sinais como:

  • Dores musculares;
  • Náuseas;
  • Diarréia;
  • Constipação.

Se você sentir qualquer um desses sintomas citados, avise imediatamente seu médico.

  • Fibratos

São utilizados para reduzir os triglicerídeos. Eles agem de forma mais positiva, quando são usados com muito cuidado, por quem também usa estatinas. Antes de começar o tratamento, certifique-se de que o seu fígado e rins estão em pleno e bom funcionamento.

A combinação desses dois medicamentos, sobretudo, quando esses órgãos não estão com um bom funcionamento, pode gerar outro problema chamado rabdomiólise, que pode acabar fazendo com que os rins falhem.

  • Suplemento de Ômega-3

Para as pessoas que precisam baixar os triglicerídeos, é necessário ingerir muito ômega-3.

Mas, pode ser bem complicado atingir a quantidade adequada de ômega-3, apenas com uma dieta. Por isso, o médico pode sugerir um suplemento.

Tome muito cuidado ao consumir este tipo de medicamento juntamente com outros, porque seus efeitos podem ser afetados.

Sinvastatina Emagrece Mesmo?

O remédio atua no organismo minimizando os níveis do colesterol ruim (LDL), aumentando as taxas do colesterol bom (HDL) e reduzindo a quantidade de triglicerídeos.
Para encontrar essa resposta, a bula do remédio menciona a perda de apetite como um dos efeitos colaterais trazidos pelo seu uso.

E, claro, que logo que uma pessoa come menos, consumindo uma quantidade menor de calorias, o resultado esperado é que ela consiga perder peso.

No entanto, não tem com ver isso exatamente como algo positivo. Primeiro, porque a redução do apetite está lá, fazendo parte da lista na bula juntamente com um grupo de sintomas ligados a problemas no fígado e que, caso se apresentem, devem ser imediatamente informados ao seu médico.

Segundo porque, não é só porque você está comendo menos que está comendo bem.

É preciso se alimentar direito e manter uma rotina adequada de atividades físicas.

Portanto, como você conferiu, é preciso alguns cuidados e atenções, embora não seja impossível emagrecer com saúde, tomar medicação desse tipo, só deve ser feita com prescrição médica.

Depois de anotadas essas informações, compartilhe com seus amigos este artigo!

Recomendados: