Café verde, o novo melhor amigo da sua dieta!

cafe_2 Ah, o café. Alimento indispensável em toda casa brasileira.

Servido de manhã, depois do almoço, à tarde, sozinho, com biscoito, pão, bolo, torrada. Com leite, puro, concentrado, fraco, com chocolate, frutas, açúcar ou adoçante. Só de pensar já dá pra sentir o cheirinho de café fresco, né?

São mil maneiras de preparar aquele cafezinho preto que a gente tanto ama, mas você sabia que a versão verde da bebida mais consumida no Brasil ajuda a emagrecer? Sim, nós também achamos uma maravilha!

Antes que você fique toda animada e comece a plantar café na sua horta (o que seria uma ótima ideia no geral, imagina não ter que comprar mais pelo seu café?), saiba que os estudos ainda são recentes e, como todos esses alimentos que prometem o mundo de vantagens, anda levantando muito debate sobre seus efeitos reais.

As maravilhas do café verde

cafe-verdeO café que tomamos é preparado a partir dos grãos torrados, em um processo chamado torrefação, que dá ao grão o aroma e o sabor que tanto amamos. Imagina qual a cor do café antes de ser torrado? Acertou quem disse verde! Como ele não é nenhum pouco saboroso cru, a versão esverdeada do café é geralmente consumida em cápsulas, mas pode ser encontrada também em pó ou solúvel.

Sim, mas e daí?

Quando o grão chega a uma temperatura de 240 graus necessários para o processo da torrefação, uma substância chamada ácido clorogênico tem suas moléculas quebradas. E é isso que faz toda a diferença de um pro outro.

O café verde possui de duas três vezes mais cafeína que o que bebemos normalmente e é rico em ácido clorogênico, que diminui a absorção da glicose no intestino. Na medida em que a glicose passa direto pelo nosso organismo, nosso fígado e nossa corrente sanguínea passam a liberar o açúcar armazenado no nosso corpo, diminuindo o risco e combatendo a diabetes.

E sabe no que o açúcar se transforma quando existe em muita quantidade no sangue? Gor-du-ra, sua arquiinimiga.

Fora que, como sabemos bem, nada nos deixa mais ligados e concentrados do que cafeína! Não é à toa que ela rola solta nos energéticos e até em cápsulas vendidas na farmácia. A cafeína acaba favorecendo a prática de exercícios – mas muito cuidado! Na medida errada ela pode acabar causando taquicardias e aumento da pressão, o que não combina nada com exercícios.

O grão verde também tem efeito termogênico, ou seja, ele aumenta a temperatura do corpo, fazendo com que o metabolismo acelere, queimando mais gordura corporal no processo.

Pra se ter uma ideia do poder do café verde, a indústria de cosméticos anda investindo pesado em pesquisas e testes com o grão. Isso porque ele possui um potencial antioxidante gigantesco. O ácido clorogênico que falamos ali em cima atua também no combate aos radicais livres. O nome parece bacana, mas esses diabinhos aceleram o envelhecimento. Então, ácido clorogênico contra esses radicais!

Os estudos sobre o café verde

A moda do café verde começou em 2012, e de lá pra cá já foram realizados vários estudos que comprovam sua eficácia. Claro, ele não é uma pílula mágica de emagrecimento, mas os resultados são bastante otimistas. Na Índia, foi realizado um estudo que comprovou que pessoas que tomam extrato do café verde perderam aproximadamente 10% do seu peso corporal em 22 semanas.

Um estudo apresentado na Sociedade Norte-Americana de Química apresentou os mesmos resultados em pessoas obesas e com sobrepeso. Um estudo duplo-cego publicado em janeiro de 2012 na revista americana “Diabetes, Metabolic Syndrome and Obesity” afirmou que pacientes submetidos à 400mg do café verde (bem mais do que o recomendado), administrados três vezes ao dia em 12 semanas, perderam em média 8 quilos, sem alterar os exercícios físicos ou sua dieta.

Aqui nas terras tupiniquins a história muda um pouco. Pesquisadores em Minas Gerais não encontraram uma diferença tão grande entre a quantidade de cafeína no café verde para o torrado. Segundo eles, a diferença seria de 0,23%. As quantidades de ácido clorogênico variariam de 5% a 10%, não sendo suficiente para ser tão mais potente para o processo do emagrecimento.

Qual a dosagem certa? Qual o melhor café verde?

À medida que se popularizam, suplementos para emagrecer começam a pipocar nas prateleiras de farmácias especializadas, manipuladoras e até em farmácias online em dezenas de marcas diferentes. É preciso ter cuidado na hora de escolher qual o melhor.

Qual o melhor para você? Eu não sei te responder, amiga. Quem vai te dizer isso é seu médico nutricionista. Os melhores são os que possuem certificado da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e que têm pelo menos 45% de ácido clorogênico.

A dosagem também fica por conta do profissional. Às vezes você poderá tomar de duas à três vezes por dia, meia hora antes do café da manhã, do almoço e do lanche da tarde, em uma quantidade de aproximadamente 200mg por dia. Pode ser que seja aconselhável para você tomar menos, apenas uma vez por dia. E nunca antes do jantar, né? Se o café verde tem ainda mais cafeína do que o que tomamos, tomar de noite é pedir por uma insônia interminável.

As não-maravilhas do café verde: riscos e precauções

Já falamos porque ele é ótimo para emagrecer, já falamos dos estudos que provam e desprovam a eficácia, agora é a hora triste e chata em que nós contamos todos os cuidados, todas as contra-indicações e todos os efeitos colaterais que o café verde pode causar.

Se você já sente uma queimação no estômago, um embrulho na barriga ou sente o coração bater mais rápido do que deveria depois de tomar um cafezinho, então talvez não seja uma boa ideia entrar no café verde – ainda mais sem orientação médica, né? A maioria desses efeitos é causado pela cafeína, e se o café verde tem mesmo mais cafeína que o café torrado, ele pode se tornar um problema enorme na sua vida.

A mesma coisa vale para quem toma qualquer medicamento que seja. É impossível no momento dizer quais são os efeitos que a mistura dos dois pode causar no seu organismo, então tenha bom senso e não faça nada sem a aprovação de um especialista antes!

Segundo nutricionistas, é preciso estar com a saúde em dia para consumir a nova sensação do emagrecimento. Pessoas com doenças crônicas, com hipertireoidismo, gastrite, úlcera, hipertensos, problemas hepáticos e reumáticos devem evitar o café verde.

E a cabeça também precisa estar boa, viu? Existem alguns estudos sendo feitos que dizem que o café verde pode aliviar depressão, já que a cafeína é um estimulante natural, mas ainda não tem nada certo sobre o assunto. Pessoas muito ansiosas e nervosas devem tomar somente com um acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra – priiiincipalmente se você fizer uso de algum remédio psiquiátrico!

Há ainda um novo e chocante estudo que alerta: cafeína em excesso pode causar perda de visão, podendo chegar até a cegueira.Tudo em excesso faz mal, então muito cuidado!

Para fechar, a dica que é sempre necessária lembrar: não existe droga milagrosa. Pro café verde fazer efeito, é necessário aliá-lo à uma dieta saudável e uma boa rotina de exercícios. Senão, nada feito! O café verde é coadjuvante, não o ator principal no seu processo de emagrecimento!